domingo, 22 de maio de 2011

Eu pouco sabia sobre aquele fogo
que nunca se apagou em minhas mãos
talvez fosse a lembrança,
um arquipélago perdido da rota do sol
ou a música que nunca cansa de tocar as bandas, as pessoas
sem endereço certo no tempo
era fogo que não ardia
aquecia
lembro bem
uma música ao acaso
na cabeça, o rascunho de um sentimento
olhar perdido no tempo, sem espaço
deitado na cama, olhando para o teto
ouvindo também os pássaros
compus meu primeiro pedaço
do corpo
que era oco
escuro da luz da vida
mas não era uma ferida; -ausência dela
amadurecer dói
constatei ainda cedo
tendo na palavra
o espanto da atitude
ao som desta voz
cresci.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Eles disparam sobre nós, com seus rostos sujos e seus cassetetes ensaguentados e seu mínimo de paciência, não somos burros, corremos enquanto descíamos a pau pela escada, com nossos braços raquíticos agindo feito uns bravos guerreiros, e eu pensei, oh meu amor, como eu te amo, descendo estas escadas assim, com a sobrancelha sangrando e os braços torcidos para trás, rosto imóvel contra este chão frio, e a minha boca nervosa falando grosserias indizíveis, e eu sei e pensei de novo, oh meu amor, como eu te amo, tanto te amo que espero sair inteiro pra poder te beijar aí fora, espero estar ainda com todos dentes na boca, e dizer, oh meu amor, como eu te amo, mas por favor, nunca mais jogue copos pelas paredes meu amor, meus braços são fracos e o Luke, bem, você pode ver o estado que ele ficou meu amor, ele provavelmente terá de arrumar uma fisioterapia pelo SUS ou algo que o valha, por isso te peço meu amor, não quebre mais garrafas, não brigue com essas putas dentro dessas boates, eu não sou tudo isso, e agora, me sinto tão pouco que só quero ser jogado aí fora no asfalto e te enxergar para te dizer essas coisas meu amor, e ver as estrelas, e ver que elas continuam lá, e que estou vivo, dolorido mas inteiro, pronta pra outra, tudo porque tenho você meu amor, isso, retoque sua maquiagem enquanto falo, adoro ver você passando rímel e olhando seu pequeno rosto em seu pequeno espelho, mas por favor, lembre que você é meu amor, por tão pouco não vale essas confusões, olha essa noite, olha o que temos pela frente, temos o mundo e não precisamos de mais nada, oh meu amor, não atire mais no pianista, não perturbe a tranquilidade dos astros, não esvazie tantos copos sem sua habitual elegância, não me peça socorro, porque meu amor, eu sempre estarei lá pronto para nosso amor, e a noite pode se transformar, pode por um instante tornar tudo tão desagradável, mas esqueça isso e lembre que eu te amo meu amor, eu te quero, então, me abrace e sigamos em frente, há outros lugares em que podemos ainda nos divertir nessa noite.