domingo, 20 de dezembro de 2009

Trago a noite num só folego
logo o galo cantará seu
vazio desejo de clarear e
escurecer meu corpo de estrelas;
nas estranhas evidências de
um sol negro
retalho em partes seu canto
afago ouvidos no travesseiro de
sonho
um tropel se anuncia e
eu sei
não é a noite.